domingo, 16 de novembro de 2014

Portugal: Seminário final "Assédio sexual: quebrar invisibilidades"

A invisibilidade do assédio sexual enquanto violência de género, as representações sociais despenalizadoras e a falta de respostas adequadas às vítimas mobilizaram a UMAR na promoção deste projeto que possibilitou o trabalho em rede com a CITE, UGT, Escola Profissional Gustave Eiffel, Escola Profissional Agostinho Roseta, associações de imigrantes, associações de desenvolvimento local e diversas autarquias, como as câmaras municipais de Lisboa, Loures, Odivelas, Seixal e Cascais.

GO: ONU lança no Brasil material contra assédio moral e homofobia no trabalho

É inadmissível discriminar alguém no trabalho em virtude de sua orientação sexual, defende advogada.

Por João Camargo Neto - JusTocantins

MS: Servidores assistem à palestra sobre assédio moral

O Instituto Federal de Mato Grosso do Sul (IFMS) promoveu na quinta-feira, 13, uma palestra com o presidente do Tribunal Regional do Trabalho (TRT) da 24ª Região, Francisco das Chagas Lima Filho. A atividade foi organizada pela Diretoria de Gestão de Pessoas (Digep) na reitoria, na Capital.

Texto e foto: Ascom/IFMS

PR: Fábrica indenizará operário ridicularizado por doença no olho

A Terceira Turma do Tribunal Superior do Trabalho não conheceu de recurso da fábrica de embalagens Itap Bemis Ltda., de Londrina (PR), contra condenação ao pagamento de indenização a um auxiliar de produção que era constantemente humilhado por seu superior hierárquico. Devido a uma lesão na vista conhecida como pinguécula, ele era chamado de "maconheiro", e receberá R$ 5 mil de indenização por danos morais. Para a Turma, a decisão não desrespeitou nenhuma norma constitucional ou dispositivo de lei.

Por Paula Andrade / CF - TST

SP: Foxconn Brasil é absolvida de indenizar empregado por declaração de presidente mundial da empresa

A Sexta Turma do Tribunal Superior do Trabalho desproveu agravo de instrumento interposto contra decisão que absolveu a Foxconn Brasil Indústria e Comércio Ltda. de pagar indenização por dano moral a um empregado que se sentiu ofendido por declaração do presidente mundial da empresa, sediada na China. Na internet, Terry Gou, CEO do grupo, disse que "gerenciar um milhão de animais me dá dor de cabeça". O entendimento foi o de que a afirmação, embora repulsiva, não autoriza deferimento da indenização.

Por Mário Correia e Carmem Feijó - TST