quarta-feira, 11 de fevereiro de 2015

O Dia: Saiba como reunir provas de assédio sexual no ambiente de trabalho

Servidores públicos que sofrem assédio sexual no ambiente de trabalho devem denunciar os casos diretamente à Polícia Civil. O ideal, segundo o advogado trabalhista André Viz, é que o funcionário consiga reunir provas para embasar a queixa. Contudo, é possível mesmo sem comprovações comunicar o ato ilícito às autoridades policiais. Segundo Viz, a investigação já ajuda a inibir novas ações vexatórias.

Por Alessandra Horto - O Dia

DF: Rede Sarah é condenada em R$ 500 mil por assédio moral e conduta antissindical

“Fala-se tanto em humanização do tratamento dado ao paciente, que às vezes, quem está no comando, se esquece de que os funcionários também são humanos e que estão lá para prestar assistência a outros humanos”. O depoimento marcante retrata o sentimento de um ex-empregado da Associação das Pioneiras Sociais – Rede Sarah de Hospitais – após ser demitido da Instituição.

Por Ascom MPT 10.ª Região

RS: Empregado constrangido por dinâmica motivacional de mau gosto será indenizado em R$ 15 mil

A Sétima Turma do Tribunal Superior do Trabalho não conheceu de recurso da Luft Logística Armazenagem e Transportes Ltda. contra condenação ao pagamento de indenização por dano moral, no valor de R$ 15 mil, a um ajudante de entrega, por situação constrangedora em dinâmicas e brincadeiras organizadas pela instituição para incentivar a competitividade e o cumprimento de metas dos funcionários. A empresa admitiu o empregado para trabalhar na entrega de produtos da Companhia de Bebidas das Américas (Ambev), que, como tomadora de serviços, também foi condenada de forma subsidiária.

Por Alessandro Jacó/CF - TST

Artigo: Samsung terá que fazer propaganda contra assédio moral

Num inusitado acordo com o Ministério Público do Trabalho, a gigante sul-coreana se obrigou a investir em publicidade contra violações de direitos trabalhistas.