sexta-feira, 13 de fevereiro de 2015

AM: Sindmetal apura assédio moral na Qualitec, pagamento da PLR na Pionner e falta de pagamento de hora-extra na Caloi

O presidente do Sindicato dos Metalúrgicos do Amazonas (Sindmetal), Valdemir Santana, informa aos trabalhadores da empresa Qualitec que a entidade já está entrando com ação contra o assédio moral que acontece na empresa.

Por Mirinéia Nascimento - Sindmetal

PR: Mês da Mulher: Sindicato promove palestra sobre assédio moral

Em comemoração ao Dia Internacional da Mulher (08 de março), o Sindicato dos Bancários de Curitiba e região promove, no dia 06 de março, a palestra Assédio moral interpessoal e organizacional, com a desembargadora do TRT-PR e professora da UFPR Thereza Gosdal. O evento acontece a partir das 19h00, no Espaço Cultural e Esportivo dos Bancários.

Por Renata Ortega / SEEB Curitiba

SC: Funcionários de hotel de Balneário Camboriú sofriam assédio moral

O Sechobar (Sindicato dos Empregados do Comércio Hoteleiro, Bares e Restaurantes e Similares de Balneário Camboriú e Região) recebeu denúncia de diversos trabalhadores e trabalhadoras de um hotel de Balneário Camboriú que estavam sofrendo Assédio Moral.

Por Click Camboriú

ES: Vila Velha decreta situação de emergência no PA da Glória e afasta Iapemesp da gestão

A prefeitura de Vila Velha decretou estado de emergência no Pronto Atendimento (PA) da Glória. Com isso, o município passa a assumir o controle da unidade, afastando da gestão a organização social (OS) Instituto Americano de Pesquisa, Medicina e Saúde Pública (Iapemesp).

Por Livia Francez - Seculodiario 

SP: Servidores em Marília pedem 15% de reajuste, fim de terceirizações e do assédio moral

O Sindicato dos Servidores Públicos Municipais de Marília deve fechar nesta sexta-feira a pauta de reivindicações para a campanha salarial 2015. quatro temas centrais estão definidos: aumento real acima da inflação, fiom das terceirizações, fim dos casos de assédio moral e preservação do Ipremm, o Instituro do Previdência Municipal.

Por Redação Giro Marília

DF: Assédio moral: autoridade ou autoritarismo?

Um professor representado pelo Sinpro-Rio ganhou na Justiça uma causa por assédio moral. A Justiça condenou o Colégio Capitão Lemos da Cunha, localizado na Ilha do Governador, a pagar uma indenização de R$ 17 mil a ele, cujo nome está sob sigilo, após comprovar denúncia de assédio moral no trabalho. A ação foi movida por meio do Departamento Jurídico do Sinpro-Rio. A vítima lecionava no colégio há 17 anos. O professor disse em juízo que a diretoria da escola realizava entrevistas para admissão de seu substituto em sua presença.

Por CNTE, SINPRO-DF