segunda-feira, 16 de março de 2015

RS: Assistente que sofreu assédio moral por ter engravidado receberá indenização de cooperativa

Uma assistente de atendimento da Cooperativa de Crédito Mútuo dos Médicos de Porto Alegre (Unicred) receberá R$ 15 mil por assédio moral pela transferência de unidade de trabalho e rebaixamento de função ao retornar da licença-maternidade. A Segunda Turma do Tribunal Superior do Trabalho não conheceu do recurso por concluir que a condenação se baseou nas provas do processo, que, segundo a Súmula 126, não podem ser reexaminadas.

Por Lourdes Côrtes/CF - TST

SP: IPHAN/SP - Sindsef-SP realizará palestra sobre assédio moral

Dando sequência na campanha de combate ao assédio moral, o (Sindicato dos Trabalhadores no Serviço Público Federal do Estado de São Paulo) Sindsef-SP realizará uma palestra sobre o tema.

O evento será ministrado pelo advogado do sindicato, César Lignelli, na próxima quarta-feira, 18 de março, às 14h, no Iphan/SP.

(fonte, acesso em 16/03/2015)

PA: Funcionários de supermercado paralisam atividades em Belém

Os funcionários da rede de supermercados do grupo Nazaré paralisaram as atividades nesta sexta-feira (13), em Belém. Na unidade da avenida Duque de Caxias, no bairro do Marco, os trabalhadores se manifestaram com um carro som e faixas reivindicando melhores condições de trabalho e denunciaram excesso de carga horária.

Por G1 PA / Foto Gil Sóter

SP: Assédio moral e maus-tratos são protestados em empresa no Uninorte

A diretoria do Sindicato dos Metalúrgicos de Piracicaba realizou na última quarta-feira (11/03) pela manhã no parque automotivo do Distrito Industrial Uninorte assembleia com os trabalhadores da empresa THN para discutir as demissões que vem ocorrendo. 

Por Jornal de Piracicaba / Foto Matheus Medeiro

RS: Afastada condenação de hospital a indenizar vigilante que passou mal no trabalho

O Hospital de Clínicas de Porto Alegre não terá de pagar indenização por danos morais a um vigilante que acusava a empresa de restrição ao uso de sanitário. Ele passou mal no trabalho e não conseguiu chegar a tempo ao banheiro. Para o relator, ministro Fernando Eizo Ono, não houve comprovação de irregularidade pelo Hospital. 

Por Secretaria de Comunicação Social / TST