terça-feira, 31 de março de 2015

MG: Vigilante que sofreu represália após ajuizar ação contra empresa será indenizado

A 4ª Turma do TRT-MG condenou uma empresa de segurança a pagar indenização a um vigilante que sofreu retaliação após ajuizar uma reclamação trabalhista contra a empregadora. As provas do processo revelaram que o trabalhador foi colocado na reserva técnica na mesma época em que as primeiras audiências na Justiça do Trabalho foram marcadas, sem que houvesse qualquer motivo para tanto. Na visão do relator, juiz convocado Frederico Leopoldo Pereira, o dano moral ficou plenamente caracterizado.

Por Secretaria de Comunicação Social do TRT-MG

SP: Chefe de Guarda é afastado por suspeita de assédio sexual

O chefe da Guarda Municipal de Potirendaba foi afastado do cargo por suspeita de assédio sexual contra uma das agentes. O caso foi registrado na Polícia Civil e já começou a ser investigado. 

Por Região Noroeste / Foto Luiz Aranha/Gazeta do Interior

RJ: Empresa é condenada por exigir razões para ida ao banheiro

A Vidax Teleserviços S/A., que atua na área de telemarketing, foi condenada a pagar indenização por danos morais no valor de R$ 5 mil a uma ex-funcionária por um procedimento considerado humilhante, vexatório e constrangedor: a empresa exigia que a empregada, quando quisesse ir ao banheiro, pedisse permissão ao chefe, explicando as razões para tal. A Terceira Turma do TRT/RJ, que julgou o caso, entendeu que a Claro S.A., por terceirizar o serviço, tem responsabilidade subsidiária pela condenação (ou seja, terá de efetuar o pagamento caso a Vidax não o faça).

Por Assessoria de Imprensa e Comunicação Social do TRT/RJ